EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA E ÁGUA: EXPERIÊNCIAS MUNDIAIS

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA E ÁGUA: EXPERIÊNCIAS MUNDIAIS

 

Contextualização

A sessão discutiu experiências de educação e cidadania, em que todas apontaram para a necessidade de produzir mudanças culturais profundas, a partir de processos permanentes, continuados e articulados de educação e cidadania, com todas as forças que trabalham com o tema água. Os desafios apontam para justamente a promoção e incentivo desse processo de educação. As experiências apresentadas demonstram ser essencial pensar a questão da água e sua relação com a educação como uma questão também de cidadania, seja do ponto de vista político ou pedagógico. Devido aos desafios da gestão da água no mundo e a perspectiva de alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável, com foco no ODS-6, a mobilização e a participação das sociedades tornaram-se essenciais. Discutiu-se também as diferentes abordagens educacionais devem ir além de uma simples capacitação. Trata-se de promover uma educação que resulte em cidadania ativa que seja fortalecida por meio do engajamento social e político da base da sociedade com a gestão ambiental e de recursos hídricos, a fim de desenvolver sociedades com valores democráticos, sociais, justos e ambientais, assegurando a qualidade de vida a todos.

Recomendações

A sessão elencou um conjunto de diretrizes, tais como: não desistir dos processos educacionais, visto que as mudanças se dão em longo prazo; educar para inserir, transformar, mudar; inclusão das mulheres de modo ativo nesse processo educativo, inseridas no diálogo; compreender que as pessoas estão em um conflito pessoal, comunicacional, e às vezes não possuem ferramentas para superar esses conflitos, desse modo deve-se buscar ferramentas para superar os diversos contextos sociais, vulneráveis ou não; ser persistente nos processos; enxergar as crises como oportunidades; respeitar a diversidade e questionar as necessidades essenciais e simbólicas para manutenção do modo hegemônico de produção de bens e consumo.

Conclusões

A sessão concluiu existirem muitos caminhos já traçados para a educação em águas e recursos hídricos. Entretanto é um caminho longo e nem sempre fácil, devendo ser de responsabilidade não só dos órgãos de ensino, pesquisa e extensão, mas também incluídos nas diversas políticas do Estado. É importante dar continuidade às ações de referência em andamento.

COORDENAÇÃO
TACIANA LEME – BRASIL

RELATORES
GISELY PEREIRA DE SOUZA VENTURA – BRASIL
RODRIGO LILLA MANZIONE – BRASIL

PAINELISTAS
MARCOS SORRENTINO – BRASIL
TACIANA LEME – BRASIL
ARACELY HERRERA – NICARÁGUA
MARIO IZAC SCHEIDER – ARGENTINA

Facebook